O que é PHP?

Nos dias atuais, o PHP, é uma das linguagens de programação mais usadas no mundo. o termo PHP, que antes significava Personal Home Page e agora é conhecido como PHP Hypertext Preprocessor, foi criado com apenas um aglomerado de códigos CGI, um elemento que torna a ligação física ou lógica entre dois sistemas ou servidores, descritos em uma linguagem C.

A ideia inicial era acompanhar o tráfego do site pessoal do criador. Os anos passaram e o criador desenvolvia scripts, o que aumentava os recursos que o site dele tinha.

O sucesso dessa linguagem foi tão grande que o criador, Rasmus Lerdof, transformou o aglomerado de códigos CGI em uma linguagem de programação.. Com isso, a grande maioria dos sites e aplicações passaram a utilizar o PHP como linguagem principal.

Versões PHP

Em 1997, dois programadores reformularam os códigos do PHP e lançaram o PHP 3, mudando o nome de Personal Home Page, para PHP Hypertext Preprocessor, como falamos acima. Essa versão contou com a primeira forma de recursos de orientações a objetos.

Com essa atualização, os programadores podiam implementar métodos e códigos.Testes públicos foram feitos e em junho do ano seguinte ele foi lançado de maneira oficial. Dois anos depois, a versão PHP 4 foi lançada, dando mais recursos para a linguagem. Essa versão apresentou um problema, a possibilidade de criar cópias de objetos. Isso porque a linguagem não trabalhava com handlers ou apontadores. Isso foi corrigido na versão PHP 5.0, a mais utilizada pelos programadores.

Atualmente, o PHP está na versão 7.2. E não, não houve um salto da versão 5.0 para a 7.2, apenas a preferência de programadores pela versão 5.0 ou 5.3 entre as versões 6.0 e 7.0.

Mas chega de história, pois para entender como utilizar o php na criação de um projeto, você precisa entender a linguagem que ela trabalha, ou melhor dizendo, os primeiros passos para programar algum sistema web.

Back-end e Front-end – dois setores distintos, porém importantes

Existem duas etapas de trabalho quando se fala em criação de um site, projeto online, jogos, softwares ou aplicativos, são o front-end e back-end. Sabe quando você acessa um site ou um aplicativo na internet, o que você está olhando é a interface da página, na qual foi feita com os trabalhos de front-end.

A forma de criação que é utilizado pelo PHP, é a de back-end, ou seja, quando você quer acessar algum site na internet, todos os dados processados para você conseguir entrar na página desejada, são processadas pelo back-end para enviar as informações e dados até o front-end, que programou toda a interface da página para o usuário.

E o PHP é conhecido por utilizar o back-end porque todo o uso desse setor é voltado para os servidores. Nós utilizamos neste mesmo site a linguagem PHP, além de outros programas. Além de sites, alguns programadores também realizam back-end para aplicativos de celulares, mas isso depende da habilidade do programador e da necessidade do projeto, pois na maioria dos casos, essa linguagem não é adequada. Ou seja, front-end e back-end são setores que trabalham de maneiras diferentes.

 

O que dá para fazer utilizando o PHP?

Quando você quer criar algum site ou algum sistema web, como um e-commerce ou um CMS, irá se deparar com scripts. Eles são roteiros que trazem informações que serão analisadas, processadas e transformadas em ações, por um determinado tipo de linguagem. Neste caso, a linguagem é o PHP.

Com ele, você consegue criar aplicações para efetuarem alguma tarefa que o usuário determinar. Essas aplicações são compiladas dentro de um servidor, chamado de server-side, ou, script do lado do servidor, um termo tradicional e muito utilizado pelos programadores quando se fala em PHP.

Para você conseguir fazer esses scripts funcionarem, vai precisar dos seguintes itens: um navegador, o interpretador do PHP e um servidor web. Você pode aprender a instalar esse itens no guia de instalação e configuração do php.

Ainda falando em scripts, com o PHP você pode criar um script e utilizá-lo sem a necessidade de ter um navegador. Você precisa somente do interpretador. Essa função é muito útil para programadores que desejam executar o script para criação de APIs. Essa função é chamada de execução de script via linha de comando.

 

Você também pode criar aplicações para desktop. Não é muito comum, mas se você é um programador que gosta de desafios, conseguirá utilizar os serviços mais avançados. Para fazer isso, você precisa utilizar o PHP-GTK, uma extensão do PHP que vai te ajudar a criar essas aplicações.

Dicas de aplicações para o PHP

Desenvolver um site ou algum projeto na internet não é nada fácil, existem coisas que você deve se preocupar bastante para que tudo ocorra perfeitamente, como a segurança. Você precisa garantir a segurança do seu sistema e dos usuários que o visitam. Por isso, os programadores precisam ficar cientes e atentos às ameaças que existem no mundo da internet.

     1- Cookies diferentes

A primeira dica é evitar que ocorra roubo de sessão. Como qualquer invasor tem conhecimento do nome padrão utilizado pelo PHP para salvar IDS, que é PHPSESSID, ao mudar esse nome, dificulta a entrada ou ação de algum invasor que queira prejudicar a aplicação.

     2- Acesse cookies via HTTP

Os IDS são armazenados de maneira padrão, como acabamos de mostrar acima, porém, a propriedadesession.cookie_httponly não é padrão. Dentro do PHP, existe uma configuração, onde é possível acessar os valores das variáveis salvas no navegador através do JavaScript, o que traz um risco para sua aplicação. Portanto, é recomendável que seja habilitado o session.cookie_httponly no arquivo php.ini. Fazendo isso, você torna possível acessar as informações somente via HTTP.

Isso impediria o famoso Cross-site scripting (XSS), um ataque que se aproveita da vulnerabilidade de um sistema e códigos JavaScripts são injetados para roubar informações do site que foi atacado.

     3- Proteja suas pastas confidenciais

Esse método não é exclusivo de páginas que foram programadas com linguagem PHP, é uma defesa básica na configuração do servidor web, porém importante. Dentro do PHP você encontra diversas configurações armazenadas em arquivos XML, txt, JSON, ini e muitas outras. E quando você acessa esses arquivos pelo navegador, fica tudo visível, e se houverem informações ou arquivos confidenciais, você precisa se proteger.

Vantagens em utilizar PHP

Como foi citado acima, o PHP roda na grande maioria dos sistemas operacionais, isso faz com que a manutenção de um site que foi programado em PHP seja muito mais fácil e barata. Além disso, os gastos com servidores e implementações são mais baixos que outras linguagens.

PHP funciona bem em quase todos os bancos de dados, como MSSQL, Oracle, DB2, MySQL. Ou seja, é um custo a menos, pois não tem a necessidade de migrar toda a base de dados do seu site para poder migrar para o PHP.

O interpretador PHP também pode ser utilizado pela grande maioria dos servidores web nos mais diversos sistemas operacionais, como LinuxWindowsMac e etc. Além disso, o PHP possui recursos para poder processar textos e outras ferramentas, contando com uma vasta lista de extensões, como XML, PDO, GEoIP. Você pode conferir a lista inteira de extensões no site oficial do PHP.

Comunidade ativa

Como o PHP está no “mercado” há mais de 20 anos, uma onda de programadores de diversos níveis ajudam um ao outro com ideias e soluções de melhorias no script. Além de ajudarem iniciantes que estão querendo programar pela primeira vez utilizando a linguagem PHP. Duas comunidades bem ativas são a w3schools e a imasters. Existem vários tutoriais para todos os tipos de funções que o PHPpode realizar e isso ajuda iniciantes que desejam começar a desenvolver algum projeto. Você também pode acessar o manual do site oficial do PHP.

Vale a pena aprender a programar em PHP?

Existem outras diversas linguagens para poder programar um site ou fazer determinado tipo de aplicação, porém, o PHP costuma ser a opção rápida e com o melhor custo benefício. Ele é muito utilizado para criação de sistemas, utilizando banco de dados para empresas de médio e grande porte.

Muitos programadores falam que a linguagem é utilizada apenas para a criação de sites e-commerces pequenos e robustos, porém, com o conhecimento certo e técnicas avançadas, você consegue sair da “zona de conforto” e programar um sistema com várias funcionalidade.

Facebook, por exemplo, é um site gigantesco que, no começo, foi utilizado linguagem PHP para criá-lo. Nos dias de hoje a linguagem é utilizada ainda, porém em sistemas mais específicos do site. O WordPress também é um site que utiliza php no back-end do site

Outros sites famosos que também utilizam dessa linguagem são o WikiPedia, Flickr, Digg e o Yahoo. Portanto, a história de que o php só serve para sites pequenos, pode estar um pouco mal contada.

E como é uma linguagem que pode ser utilizada de inúmeras maneiras, as vagas de emprego para programadores e técnicos em agências de criação de sites e empresas de tecnologia são grandes. Segundo uma pesquisa feita pelo RedMonk em 2016, das qualidades mais procuradas por programadores, ter conhecimento em php aparece na 3° posição. Ou seja, se você tem conhecimento avançado em PHP, vagas de emprego não vão faltar.